Esse artista brasileiro é tido como o primeiro e único escultor hiper-realista do país

Diversos escultores hiper-realistas já ganharam destaque na internet. Entre eles, talvez o mais famoso seja o australiano Ron Mueck, cujas obras foram expostas no Brasil em fevereiro de 2015.

Por aqui, o destaque do gênero – ou talvez o único – é Giovani Caramello, que revela seu processo de produção no vídeo acima. O artista, apesar de reproduzir fielmente aspectos do corpo humano, trabalha também com uma tendência surrealista em suas obras. Ele usa essa combinação para transmitir uma mensagem.

“Creio que as novas peças representam meu amadurecimento e da minha forma de esculpir. E, apesar de possuírem uma temática muito pessoal, sempre busco apresentar uma poética de fácil identificação”, explica.

EXPOSIÇÃO
As peças que você vê abaixo estão expostas na OMA Galeria até dia 25 de maio. A visitação, que é gratuita, pode ser realizada de terça a sexta, das 10h às 19h; e aos sábados, das 10h às 14h. A galeria fica na Rua Carlos Gomes, 69, Centro – São Bernardo do Campo.

hiper realismo brasileiro 1

hiper realismo brasileiro 2

hiper realismo brasileiro 3

hiper realismo brasileiro 4

hiper realismo brasileiro 5

hiper realismo brasileiro 6

hiper realismo brasileiro 7

hiper realismo brasileiro 8

hiper realismo brasileiro 9

hiper realismo brasileiro 10

hiper realismo brasileiro 11

hiper realismo brasileiro 12

hiper realismo brasileiro 13

hiper realismo brasileiro 14

hiper realismo brasileiro 15

hiper realismo brasileiro 16

hiper realismo brasileiro 17

hiper realismo brasileiro 18

hiper realismo brasileiro 19

hiper realismo brasileiro 20

Jornalista e cocriador do site Somente Coisas Legais.

Comments

comments

3 comments

  • Trabalhos incríveis!
    No caso do brasileiro, creio, sem nenhuma experiência na área em específico, que se trata de realismo e não de hiper realismo. Isso porque noto que muitas esculturas estão com proporções erradas e houve pouco uso de fios para simular pêlos e cabelos.
    É só uma observação. Claro que entendo que possa haver dificuldade na compra de materiais mais adequados a esse fim, no entanto isso não muda a realidade do resultado final.

    Responder
  • Obrigado pelo feedback Sheise 🙂
    Você está correta, seria mais para Realismo do que Hiper.
    No momento estou usando materiais como a Resina, que não simula pele como o Silicone, utilizado pelo Ron Mueck. E também não estou utilizando pelos e cabelos implantados. É mais por uma questão de identidade.. Estou buscando uma identidade própria, que não tenha "comparações" diretas, então optei por fazer um trabalho mais simples, sem preocupação com a perfeição e realismo absoluto. Meu trabalho é mais focado na poética do que na estética em sim. Por isso brinco com as proporções também.. é uma forma de intensificar a realidade ou a poética, sem precisar ser "real".
    Muito obrigado pelo elogio e comentario, é muito importante pra mim feedback desse tipo.

    Responder
  • Giovani Caramello, boa tarde!
    Só o fato de saber que as diferenças de proporção são propositais, bem como o não uso de pêlos e cabelos é em busca de um outro tipo de resultado já muda a forma como analisamos o trabalho! Agora creio mais na ideia da sua estética.
    Sou uma entusiasta da arte de modo geral. Aprecio novos estudos, experiências… é um trabalho riquissímo.
    E também estou a par do quão pouco investimento os artistas brasileiros recebem, então parabéns, pelo trabalho e pela assertividade do seu comentário/réplica.
    Sucesso pra ti!

    Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *