NASA lança “Google Maps” de Marte e agora você pode visitá-lo!

Enquanto pisar em Marte parece um sonho ainda distante para a humanidade, a NASA (agência espacial norte-americana)  lançou um site que torna possível “dar um voltinha” e conhecer detalhes do solo marciano.

Através do Mars Trek, mapa interativo semelhante ao Google Maps, o internauta pode dar uma de astronauta a aprender detalhes sobre a topografia do planeta e as missões espaciais que já chegaram ao nosso vizinho no sistema solar.

marte 1

O Mars Trek se utiliza das imagens captadas por diversas missões especiais não tripuladas já enviadas pela NASA ao planeta vermelho. Desse modo, é possível explorar Marte com algumas ferramentas bem interessantes.  Dá para conhecer os nomes dos locais mais importantes do relevo, com informações detalhadas sobre tamanho, longitude e latitude, além de poder calcular distâncias e o ângulo do Sol em um determinado ponto da superfície marciana.

Algumas funções são ainda mais bacanas. Através da opção “Layers”, é possível ir adicionando camadas e comparando a qualidade das imagens captadas por cada missão espacial enviada a Marte com o passar do tempo. Já os “Bookmarks” disponibilizam os pontos de referência com alguma importância para a exploração especial, mostrando onde cada nave lançada pela agência espacial dos Estados Unidos pousou. E, se você for sortudo e possuir um impressora 3D, o site permite gerar os arquivos apropriados e imprimir pequenos trechos do relevo marciano.

marte 3 jpeg

Quarto planta do sistema solar a partir do Sol, Marte sempre chamou a atenção aqui da Terra. O planeta é notado no céu desde a antiguidade e por muito tempo acreditou-se que ele seria lar de uma outra civilização. A partir da década de 70,  Marte começou a ser explorado mais incisivamente por meio de missões não tripuladas, mas até agora nenhum indício contundente de vida foi encontrado. A última sonda da NASA a pousar por lá foi a Curiosity, em 2012.

A resolução das  imagens fornecidas pelo Mars Trek nem de longe se comparam com a do Google Maps – o que é totalmente compreensível – e o site ainda apresenta alguns problemas já que se trata de uma primeira versão, mas com um pouco de disposição é possível conhecer bastante sobre o planeta vermelho. Com algumas melhoras, não é difícil imaginar que o site poderá ser utilizado com fins educacionais. Aprender sobre astronomia com certeza vai ser muito mais divertido.

Comments

comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *