Fotografias de longa exposição captam o surreal brilho bioluminescente dessa caverna

caverna

Viajar em busca de belas e inspiradoras paisagens é a melhor maneira de renovar as energias e descobrir toda a potencialidade existente em nosso planeta. Mas, nem sempre o encanto se encontra onde esperamos e fugir do lugar comum pode ser a chave para conhecer áreas inexploradas e extrair delas sua experiencias quase transcendentais.

Esse é o caso de Joseph Michael, fotógrafo neozelandês que, através da técnica fotográfica da longa exposição, captou imagens do interior de uma caverna na Nova Zelândia de incomparável beleza.

Com formações calcárias – datadas de 30 milhões de anos atrás – estrategicamente iluminadas por um brilho azulado que mais parece ter saído de um sonho, o local chama a atenção de todo o mundo devido à sua singularidade visual, um espetáculo óptico de proporções épicas.

VEJA TAMBÉM:
+ Fenômeno da bioluminescência resulta em ‘mar de estrelas’ em ilha das Maldivas

Quase como um conto de fadas, as luzes que cintilam pelo teto e pelas paredes dessa gruta anciã não provêm da intervenção humana, e sim de um tipo de larva típica da região, de nome científico arachnocampa luminosa.

Emitidas em sua maioria pela larva fêmea, as luzes servem para atrair potenciais parceiros e encantar suas presas, criando o efeito bioluminescente deslumbrante e característico dessa paisagem onírica.

As imagens fazem parte do projeto intitulado ‘Luminosity’ (Luminosidade), que revela a incomparável beleza criada unicamente pela natureza, mas que é uma verdadeira obra de arte.

caverna 1

caverna 2

caverna 3

caverna 4

caverna 5

caverna 6

Curiosa incansável, escritora de coração e alma, trabalha como redatora freelancer e tem a escrita como estilo de vida. Amante das artes e de todas as expressões artísticas.

Comments

comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *